Confira quais são os valores das diárias para curtir a temporada em São Francisco do Sul

Expectativa de corretores e imobiliárias é de repetir ou até elevar o número de locações de casas de veraneio. Infraestrutura é criticada

18 de Dezembro de 2017

Por: Luan Martendal - NSC

espera de mais de 350 mil turistas para esta temporada promete repetir ou até elevar o desempenho nos aluguéis de casas de veraneio em São Francisco do Sul no comparativo com 2016. A expectativa é dos corretores imobiliários do município, que, além de manter a média dos preços das diárias, já conseguiram fechar a maioria das locações para Natal e Réveillon, datas que registram maior procura.

A chegada dos visitantes para a virada do ano deve ter alta a partir do dia 23 de dezembro e se manter nos dez primeiros dias de 2018. São esperados turistas da região e também de outros Estados, como PR, RS, SP e MT. Há ainda grande quantidade de argentinos e paraguaios que devem desembarcar em São Francisco entre janeiro e fevereiro.

De acordo com a delegada do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Santa Catarina (Creci/SC), Keterin Schier, nos últimos três anos o município vem registrando crescimento tanto na oferta, quanto na procura por imóveis para aluguel na temporada. Porém, desta vez, o mercado das locações deve ter desempenho parecido com o do ano passado, podendo apresentar leve acréscimo.

— Com relação à última temporada, ela veio com a crise e isso trouxe uma dificuldade, que é você ter que adaptar os pacotes de veraneio para os clientes. Então, neste ano deve ser mantido o mesmo nível. As expectativas para o ano que vem são as melhores possíveis porque percebemos que o setor está reagindo — destaca.

O otimismo decorre pelo fato de que, dos imóveis colocados para locação na imobiliária, já foram quase todos alugados para as festas de fim de ano. São cerca de 40 negociados somente no estabelecimento. Na Truppel Imóveis, outros 50 imóveis postos para aluguel já estão prontos para receber os inquilinos temporários.

— Em 2017, houve melhora no fechamento dos aluguéis para a temporada na Truppel e notamos que esse retorno ocorreu de forma mais antecipada com relação às temporadas passadas. A maioria das locações foi fechada na metade do ano e são poucos os imóveis que ainda estão para alugar — aponta Diogo Truppel, proprietário do estabelecimento.

Ainda conforme as imobiliárias, os turistas devem ficar de sete a dez dias na cidade no período das festas de Natal e virada do ano. Os lugares com maior demanda são as praias da Enseada e da Prainha, onde há maior badalação. Já para os que buscam sossego, os destaques são as praias de Ubatuba, Itaguaçu e do Forte.

Preço das diárias foi mantido para trazer turistas

Comemorada pelos corretores, a manutenção dos valores de diárias praticados nas duas temporadas passadas é uma das apostas para manter o local atrativo para os visitantes. Os preços variam, em média, de R$ 300 a R$ 800. No entanto, há imóveis com diárias mais elevadas, que podem chegar a R$ 2 mil.

Além do preço mantido, a quantidade de unidades disponíveis neste ano também segue o ritmo de dezembro de 2016 a março de 2017, na avaliação do empresário Paulo Henrique Silveira de Souza, da Maria Angelina Silveira Corretora de Imóveis. No local, são cerca de 50 empreendimentos disponíveis para aluguel aos veranistas. Outra percepção, segundo ele, é o aumento do poder de negociação de valores dos clientes com os proprietários.

— Atendemos, principalmente, a grupos de amigos e famílias de, no mínimo, cinco pessoas e que costumam ficar ao menos dez dias na cidade, mas hoje muitos estão procurando estadia para cinco ou sete dias. Então, eles barganham a quantidade de dias que ficarão no imóvel e no preço. Alguns proprietários acabam aceitando a proposta, outros não. Para aqueles que fecham pacotes de dez dias ou um pouco mais, dá para trabalhar um preço melhor — aponta ele.

Para a corretora Adriana Hannemann, da Adrih Imóveis, o aumento das "pechinchas" também é perceptível e as negociações dos pacotes de dez para sete dias são uma realidade. Apesar disso, avalia que há acréscimo no número de imóveis ofertados, mas a procura é pouca em relação ao total esperado.

Infraestrutura preocupa

Alguns dos empecilhos para que o potencial turístico de São Francisco do Sul seja maior são apontados pelos profissionais do ramo. Uma das maiores preocupações é quanto à possível falta d’água, que costuma incomodar nos últimos dias do ano devido ao aumento da demanda. Segundo os corretores locais, as soluções vêm dos próprios locadores, que investem em caixas-d’água para resolver o problema.

As dificuldades no acesso às praias de São Francisco, além do pouco número de supermercados na região e a falta de agências bancárias, também são motivo de questionamentos pelos visitantes. A busca por melhorias na infraestrutura das praias e mais atividades culturais e eventos são outros pedidos recorrentes entre os empresários.

— São Francisco do Sul tem esse diferencial de ter belas praias, consideradas pelo pessoal como as mais bonitas de Santa Catarina, tem o Centro Histórico, mas esbarramos em outras questões. O acesso é difícil, o trânsito é complicado, não há bancos próximos e não se tem uma infraestrutura adequada para atender ao turista. É um lugar que poderia ser mais bem explorado também com eventos e atrativos — afirma a delegada do Creci na cidade.

Aposta em atrativos

De acordo com a Gerência de Turismo do município, o órgão está trabalhando em conjunto com uma comissão de verão com atrativos para que o turista permaneça mais tempo na cidade. Entre as ações planejadas estão diversões náuticas, parede de escalada, arvorismo e parques de diversão.

Ainda segundo a gerência, a movimentação econômica esperada é maior do que a do ano passado por causa do aumento no número de turistas com hospedagem, alimentação e gastos pessoais.

Segundo o gerente de turismo, Juliani Possamai, com a geração de atrativos e roteiros para 2018, o aumento no número de turistas deve ocorrer naturalmente. Nesta temporada, também são destacados eventos que devem fomentar o turismo local, como paraquedismo, exposição de veículos militares antigos, Stammtisch na Prainha, além de torneio de beach soccer e de futsal e a limpeza das praias Grande e Prainha e sambaquis.

DICAS PARA UMA LOCAÇÃO SEGURA (CRECI/SC)

Atitudes simples de quem deseja alugar um imóvel de veraneio podem evitar uma série de complicações. Veja alguns cuidados a serem observados:

• Certifique-se de que o profissional que está fazendo a oferta é realmente um corretor de imóveis credenciado junto ao Creci;

• Evite negociar com pessoas na rua portando chaves, placas e cartazes com anúncio de imóveis. Isso porque, em muitos casos, o local não conta com estrutura para abrigar os turistas, pode estar ilegal ou com pendências junto aos órgãos públicos; além de ter risco aumentado de roubos e furtos;

• Desconfie quando o preço do imóvel for muito inferior à média do mercado;

• Tenha cuidado ao repassar dados pessoais pela internet. Somente repasse essas informações após se certificar de que o corretor de imóveis e a imobiliária são credenciados junto ao Creci/SC;

• É aconselhável visitar o imóvel antes de fechar o negócio;

• Exija sempre o recibo e o contrato junto com o termo de vistoria, pois o único meio de evitar mal-entendido é documentar a transação.

Rua Fúlvio Aduci, 1214. 10° andar - Estreito, Florianópolis | SC - CEP: 88075-001

CNPJ: 82.894.098/0001-32

Horário de funcionamento na sede: de segunda a sexta, das 9h às 18h.