Secretária Zena Becker analisa Operação Presença 2016

Por Assessoria de Comunicação CRECI-SC

21 de Março de 2016

No próximo dia 30 de março encerra-se oficialmente a temporada de verão em Florianópolis. Se por um lado o verão foi positivo por atrair milhões de turistas e aquecer a economia local, por outro ele revelou uma série de problemas estruturais da cidade, como a falta de infraestrutura e mobilidade urbana.

Assim com em outros anos, o CRECI-SC fez parte das ações organizadas pela Prefeitura de Florianópolis, dentro da chamada Operação Presença. Com a proximidade do fim da temporada, convidamos a secretária de Turismo, Zena Becker, a comentar o desenvolvimento da operação na Capital.

Apesar de ainda não contar com os números definitivos, a coordenação da operação já sabe que, dos quatro eixos de trabalho (infraestrutura; serviços e equipamentos; cultura e lazer; sustentabilidade) o que mais gera demandas é a infraestrutura. “Assim como em anos anteriores as demandas referentes à infraestrutura são as mais recorrentes. Neste ano, em especial, as questões relacionadas ao saneamento básico – que interferem de forma direta sobre a balneabilidade das praias – foram as que mais se acentuaram, por conta das fortes chuvas entre dezembro e janeiro, o grande fluxo de visitantes em imóveis alugadas e a ligação irregular de cerca de 57% das residências”, diz a secretária Zena Becker.

Durante os meses de janeiro e fevereiro as autoridades municipais e estaduais tiveram que enfrentar o problema da poluição nas praias, principalmente no Norte da Ilha. Um dos programas lançados pela Prefeitura, dentro ainda da Operação Presença, foi o “Se Liga na Rede”. “Com ele são intensificadas as fiscalizações e notificações nos imóveis para que as pessoas tenham a consciência de se adequar ao sistema de esgoto que a cidade possui, ou no caso das regiões ainda não beneficiadas com tal estrutura, a utilização de fossas e caixas de gordura, para que os resíduos não sejam distribuídos de forma irregular e in natura na rede pluvial, córregos e/ou rios. Ao todo, desde o início do projeto foram efetuadas 47.249 inspeções ou vistorias em toda a cidade”, explica a secretária.

Outro fato importante desta temporada foi o grande número de turistas argentinos que vieram para o litoral catarinense, especialmente para Florianópolis. Favorecidos pela variação cambial, os “hermanos” literalmente invadiram nossas praias. Para recebê-los, a Prefeitura buscou parcerias para capacitar os operadores do turismo na cidade. “A Secretaria Municipal de Turismo, em conjunto com a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), realizou uma parceria com o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) para ofertar cursos de espanhol àqueles que trabalham diretamente com os visitantes estrangeiros. Além disso, os atendentes dos Centros de Atendimento ao Turista (CATs) também passaram por um processo de capacitação para melhor atender os que chegavam na cidade”, diz a secretária. Além disso, todo o material de divulgação da Prefeitura estava traduzido para espanhol e inglês.

Com a conclusão das ações no próximo dia 30, a Secretaria de Turismo deve tabular os resultados e apresentá-los para a comunidade. O relatório servirá de base para as ações a serem desenvolvidas na próxima temporada. 

Rua Fúlvio Aduci, 1214. 10° andar - Estreito, Florianópolis | SC - CEP: 88075-001

CNPJ: 82.894.098/0001-32

Horário de funcionamento na sede: de segunda a sexta, das 9h às 18h.