Vender para estrangeiros pode ser uma alternativa

20 de Abril de 2016

Hoje em dia tem sido comum nos depararmos com notícias relativas a investimentos de estrangeiros no mercado imobiliário brasileiro. Grandes empresas, como a America Blackstone, têm visto uma oportunidade no esfriamento do mercado, comprando por preços vantajosos para revender no futuro.

                Em Santa Catarina, porém, o perfil do comprador estrangeiro é diferente. Por se tratar de um polo turístico, cada vez mais pessoas de fora têm vindo e se encantado com as belezas de nosso Estado. Muitos deles acabam decidindo comprar um imóvel aqui para passarem suas férias ou períodos maiores de descanso.

                Neste sentido, um dos locais onde identificamos um grande número de compradores estrangeiros foi o Norte da Ilha, principalmente na praia de Jurerê Internacional. Os corretores com quem conversamos garantem que possuem clientes de vários lugares do mundo, como Alemanha, Itália, Estados Unidos, Inglaterra, Angola e, obviamente, Argentina. Na Imobiliária Steinhaus disseram que o foco dos estrangeiros são as casas de alto padrão, usadas principalmente para as férias das famílias. O mesmo acontece na Imobiliária Jurerê Golden, onde disseram que a procura por terrenos também é alta.

                Este ano a venda de imóveis para estrangeiros recebeu um impulso extra, já que houve uma verdadeira “Invasão” na última temporada e muitos deles acabaram fechando negócios por aqui. Além disso, a variação cambial, com desvalorização do Real perante as moedas estrangeiras, torna a compra mais fácil para aqueles que vêm de fora.

                Para atrair o cliente do exterior, além de ter uma oferta de imóveis que interessam a esta faixa de público, o Corretor de Imóveis precisa falar a língua do comprador e estar atento à documentação exigida para esse tipo de transação.

Dicas para os Corretores

                O corretor de imóveis que procura ampliar seu campo de atuação, precisa ampliar também seus conhecimentos, por isso além de aprender uma segunda língua, os profissionais da corretagem devem estudar sobre os principais países investidores, procurar aprender a cultura e até mesmo algumas técnicas de vendas praticadas nestas localidades. Assim, o cliente irá sentir-se confiante em realizar uma negociação com um profissional que compreende suas crenças e tradições locais, evitando choques culturais.

Rua Fúlvio Aduci, 1214. 10° andar - Estreito, Florianópolis | SC - CEP: 88075-001

CNPJ: 82.894.098/0001-32

Horário de funcionamento na sede: de segunda a sexta, das 9h às 18h.