Poluição no Norte da Ilha reflete nos aluguéis de temporada

15 de Janeiro de 2016

A atual temporada de verão em Florianópolis, que era para ser uma das mais festejadas dos últimos tempos por conta do grande número de turistas, já tem a sua grande mancha negativa. Trata-se da poluição nas praias do Norte da Ilha, mais especificamente em Canasvieiras.

O fato começou a ser comentado através das redes sociais. Várias pessoas compartilharam fotos e comentários de casos de infecções, de viroses e dermatites causadas pelo contato com a água contaminada. Não demorou muito para que o efeito começasse a ser sentido nos postos de saúde da região, onde casos de diarreia tiveram aumento de 500%, segundo matéria do jornal Notícias do Dia.

Todo este transtorno é causado por ligações clandestinas de esgoto, principalmente aquelas que deságuam nos rios do Brás e Izabel. Apesar das obras emergenciais da Prefeitura de Florianópolis, que trancou a foz do rio do Brás e instalou tubulação para levar suas águas poluídas até uma estação de tratamento, o estrago está feito. As placas de condição imprópria para banho têm afugentado os turistas que buscam curtir suas férias na praia.

Essa onda de más notícias tem tido um impacto muito grande na economia local e também no mercado imobiliário. O corretor de imóveis César Murara é taxativo ao dizer que “o impacto já foi sentido e é muito grande”. Segundo ele, muitos turistas, principalmente os argentinos, estão avisando seus parentes e amigos para que não venham para as praias do Norte da Ilha. “Nossa previsão era de que a segunda quinzena de janeiro seria melhor que a primeira, mas agora já temos a sinalização de que vai ser pior”, diz.

Alberto Roberge, que também atua como corretor de imóveis no Norte da Ilha, tem a mesma impressão que seu colega: “o impacto foi muito grande, tanto nos aluguéis quanto na venda de imóveis. Eu mesmo estava fechando negócios com clientes que simplesmente desistiram de comprar aqui por causa da poluição”. Ele diz que até tenta argumentar com os clientes que a prefeitura está tomando as medidas para sanar o problema “mas as pessoas estão indo embora assim mesmo. Para reverter a situação temos que fazer um grande movimento que envolva poder público, entidades de classe e comunidade”, diz Alberto.

Tristeza de uns, alegria de outros. No Sul da Ilha os corretores estão comemorando a boa temporada e vislumbram um crescimento ainda maior na procura por conta da má impressão que ficou com as notícias de poluição no Norte. “Nós ainda não sentimos um aumento muito grande, mas a tendência é que os próximos turistas que queiram ficar em Florianópolis procurem o Sul da Ilha”, diz a corretora de imóveis Guadalupe Bravo, que atua na região do Pântano do Sul.

Rua Fúlvio Aduci, 1214. 10° andar - Estreito, Florianópolis | SC - CEP: 88075-001

CNPJ: 82.894.098/0001-32

Horário de funcionamento na sede: de segunda a sexta, das 9h às 18h.